Foi aqui que me inspirei!

Aeroporto Santos Dumont – Rio de Janeiro

Local: Aeroporto Santos Dumont

Livro: Vestígios

Onde aparece: Capítulo 36— Médico de Família

O tema de hoje no “Foi aqui que me inspirei”, abordarei um outro local no Rio de Janeiro que considero de extrema beleza. 

Quem já teve a chance de decolar ou pousar no aeroporto Santos Dumont, entende a magnitude do lugar por sua privilegiada localização às margens da Baía de Guanabara e com sua exuberante vista para o Pão de Açúcar. Em um dia de sol o espetáculo é garantido.

Chegar ou partir deste aeroporto é uma experiência de tirar o fôlego, tanto para os apreciadores dos diversos pontos turísticos que podem ser vistos do local, como para os que sofrem de aerofobia, já que a pista principal é considerada, por especialistas, uma das mais difíceis do mundo por sua curta extensão. Somente os pilotos mais experientes têm licença para manobrar ali. 

Tanto o pouso quanto a decolagem proporcionam experiências únicas. Na minha opinião, tanto faz se a aeronave está se aproximando para o pousar sobrevoando a ponte Rio-Niterói ou a Praia de Botafogo. A admiração é a mesma pois, qualquer um desses ângulos irá permitir aos passageiros uma vista de tirar o fôlego.  

Entretanto, para a decolagem eu tenho a minha preferência. Taxiar lentamente margeando a Ilha Fiscal até chegar à cabeceira da pista, onde se pode avistar quase toda a extensão da Ponte Rio-Niterói. Se der sorte, ainda poderá apreciar uma barca que acabara de zarpar da praça XV em direção a Icaraí. Em seguida, a aeronave faz uma curva a direita e os motores roncam com veemência. Finalmente o piloto acelera com potência até descolar o trem de pouso do asfalto. 

A partir daí, os privilegiados passageiros sentados do lado esquerdo da aeronave poderão usufruir da espetacular vista das praias de Niterói, enquanto o piloto executa uma grande curva para a esquerda desviando o percurso da direção do Pão de Açúcar.

 No capítulo 36 do livro Vestígios, o personagem João decola em um avião privado fazendo esse mesmo trajeto descrito acima, mas ele se encontrava preocupado demais para aproveitar o momento encantador que a decolagem proporciona aos viajantes.

Quer ler o livro? Click aqui!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s